Quinta-feira, 23 de Setembro de 2021
1 1
:
1 3
Escute a rádio online | Cuiabá

Notícias | Polícia

30/07/2021 - 09:48

Seis pessoas são indiciadas pela polícia por sequestro e morte de servidor aposentado em MT

Polícia Civil apurou que durante a execução do crime um dos criminosos citou seu nome a um comparsa e, por conhecer a vítima, ele ficou com medo de ser reconhecido.

Seis pessoas são indiciadas pela polícia por sequestro e morte de servidor aposentado em MT

Foto: Reprodução

A Polícia Civil concluiu o inquérito sobre a morte do servidor público aposentado Nicomedes Francisco Pinto Lopes, de 69 anos, e indiciou seis dos envolvidos pelo crime. O idoso foi sequestrado em Chapada dos Guimarães, em março, e encontrado morto nesta na Rodovia Helder Cândia, conhecida como Estrada da Guia, em Cuiabá.

A Polícia Civil divulgou o indiciamento nesta sexta-feira (30). Os seis foram indiciados por extorsão mediante sequestro qualificado. O crime tem pena mínima prevista na legislação de 24 anos e máxima é 30 anos.

O inquérito foi encaminhado à Justiça na quarta-feira (28) pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Cuiabá (Derf) e nele também foi indiciado um casal que responderá por receptação dolosa.

De acordo com o delegado Guilherme de Carvalho Bertoli, o entendimento de que os indiciados cometeram o crime de extorsão mediante sequestro.

A perícia indicou que a vítima apresentava indícios de que estava morta entre 48 a 72 horas e ficou mais de um dia em cárcere e sendo extorquida pelos criminosos.

Os dois indiciados por receptação dolosa são os proprietários das máquinas de cartões pelas quais foram realizadas as transações para recebimento dos valores extorquidos da vítima.

Os outros seis criminosos indiciados, ligados diretamente ao sequestro, extorsão e morte do aposentado tiveram as prisões decretadas pela 6ª Vara Criminal de Cuiabá, durante a Operação Omertá, realizada pela Derf em junho deste ano.

Quatro deles permanecem presos preventivamente, um está foragido e a mulher foi liberada mediante medida cautelar, por ter filho menor de idade.

Roubo e execução

O aposentado desapareceu no dia 21 de março, da casa onde morava em Chapada dos Guimarães, e seu corpo foi localizado quatro dias depois às margens da rodovia Helder Cândia, em Cuiabá, com marcas de disparos de arma de fogo na cabeça.

A partir da comunicação do desaparecimento do idoso por seus filhos, a Delegacia de Chapada dos Guimarães iniciou a apuração, tratada até então como sequestro e extorsão, quando houve o apoio da Gerência de Combate ao Crime Organizado, que prendeu dois casais por receptação e associação criminosa.

A partir da detenção dos dois casais, logo após o corpo de Nicomedes ser encontrado, os policiais civis localizaram um telefone modelo Iphone 8 e uma televisão de 50 polegadas que pertenciam à vítima. Já o outro casal foi identificado pela Polícia Civil como o destinatário das transferências de valores feitas da conta da vítima.

Um dos filhos de Nicomedes procurou a Polícia Civil e informou sobre uma transferência da conta bancária de seu pai, por meio de PIX, no valor R$ 4,9 mil, para a conta de uma mulher.

Estranhando a transação, o filho entrou em contato com o pai pelo Whatsapp, porém, a mensagem foi visualizada e não foi respondida.

Ele então tentou telefonou para a vítima, mas não conseguiu contato. Desconfiado, o filho foi até a casa do pai e ao chegar viu que a residência estava trancada e o cachorro amarrado, o que não era costume.

O veículo da vítima, um modelo Jeep Renegade, também não estava na casa e foi encontrada uma escada encostada ao muro, onde havia pegadas de botas.

No dia 22 de março, a Polícia Civil identificou que os criminosos fizeram compras com os cartões da vítima, algumas em valores altos totalizando R$ 8 mil em duas transações e outras compras menores realizadas em cartão de débito.

Durante a investigação, a Delegacia de Chapada dos Guimarães solicitou apoio da GCCO por haver a suspeita de um possível sequestro.

A partir da localização do corpo, a investigação tomou outro viés e a equipe policial conseguiu reunir informações que levaram à identificação dos envolvidos, cujos mandados de prisão foram representados à Justiça.

A Polícia Civil apurou que durante a execução do crime, um dos criminosos citou seu nome a um comparsa e, por conhecer a vítima, ele ficou com medo de ser reconhecido.

O criminoso era morador de Chapada dos Guimarães e já havia prestado serviço de pedreiro para a vítima e pelo comparsa ter falado seu nome, ele ficou com medo de ser reconhecido pela vítima.

O delegado detalha ainda que os criminosos tentaram fazer transações de valores mais elevados da conta da vítima, contudo, foram bloqueadas pelo filho que ajudava a gerir a vida financeira do pai, a partir do momento em que foram detectados as primeiras transferências.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet